X CineCreed - Coronel PM Alcides Romão

Porque o X CineCreed homenageia o Coronel PM Alcides Romão

Em 2008 o Centro de Reeducação da PM de Pernambuco convivia com a violência simbólica evidenciada na interpretação muito particular da Lei de Execução Penal e da legislação militar por parte do efetivo administrativo-prisional: secundava a um só tempo os direitos dos militares privados de liberdade (reeducandos) e os deveres da administração militar.

 Essa violência fazia com que os reeducandos, isolados e solitários (Hannah Arendt ) se mostrassem avessos à interação e inter-relação positiva e dinâmica, apoio mútuo, cooperação e confiança com o CREED. A perda da liberdade, pois, afetava o pudonor militar, sentimento de dignidade que corresponde “ao respeito a si próprio e aos seus semelhantes, indistintamente.” O menosprezo com a vida do militar estadual colaborava com a paulatina perda de consciência dos valores e deveres castrenses.

O conflito existente contribuía para agravar as consequências negativas do cárcere: ociosidade, comprometimento psicoemocional, perda do status social e identidade enquanto militar, traumas devido à separação familiar e a não aceitação da perda da liberdade. Em setembro daquele ano o diretor da unidade prisional, à época Tenente-Coronel PM Alcides Romão, fez a contestação (Norberto Bobbio) daquele modus vivendi.

Visou principalmente evitar que a indiferença à dignidade da pessoa humana sofrida na unidade prisional tivesse desdobramentos nefastos na segurança pública quando futuros egressos retornassem ao serviço de policiamento ostensivo.

Acreditou que ao assegurar a dignidade, criava ambiente favorável à reconstrução da cidadania - consciência que cada indivíduo tem dos seus direitos e obrigações - do reeducando, condição para a adequada reintegração deles às corporações (PMPE ou CBM), a sua família e à sociedade. Para evidenciar que desejava resolver o conflito de maneira não coercitiva, o CREED permitiu-se à escuta ativa, prática que o fez identificar vários desejos contrariados que giravam em torno de duas insatisfações: integrar a mesma corporação de um militar delinquente, de um lado, e o inconformismo com o cárcere, do outro.

Alicerçado nos princípios da Cultura de Paz, o Tenente-Coronel PM Alcides Romão deixou clara a necessidade de entender a dignidade como qualidade inerente à condição humana. Para ambas as partes (reeducandos e administração prisional) exortou a observância ao sentimento do dever militar, ao pudonor militar e ao decoro da classe militar. A interação social e a empatia (Lynn Hunt) permitiram que o efetivo administrativo- prisional passasse a ver o reeducando também como sujeito de direito.

Isso garantiu ambiente favorável para que fosse criado o Programa Reconstruindo a Cidadania, conjunto de ações voltadas para o bem-estar social dos militares que estavam privados de liberdade e seus familiares bem como a população circunvizinha à unidade prisional. Evidenciada a relação de confiança CREED-REEDUCANDO, foram iniciadas as ações ressocializadoras com palestras e cursos voltados para a saúde física e mental.

Esses eventos inauguraram o endereço eletrônico criado para difundir os feitos do Programa Reconstruindo a Cidadania tão logo eles eram concluídos. Por ele as duas corporações militares pernambucanas e demais representantes da sociedade civil organizada evidenciavam que o Programa Reconstruindo a Cidadania reconhecia e efetivava os direitos sociais, econômicos e culturais dos reeducandos nos eventos que realizava: culto e missa mensais com a presença da comunidade, os cursos (básico de informática e emergencista pré-hospitalar), as palestras (de juízes e profissionais de saúde), o workshop (avaliação da saúde mental), a digitalização do acervo Ligas Camponesas, a instalação de consultório odontológico, a inauguração da Biblioteca Alexandria, as comemorações de datas homenageativas e festivas (Dia das Crianças, Natal, Ano Novo, Carnaval, Dia da Mulher, Dia das Mães, Festas Juninas, Dia dos Pais...), o casamento coletivo, os torneios de futebol, o atendimento do PROCON Itinerante, as visitas de alunos de faculdade de direito, políticos e de integrantes de outras polícias militares.

Em outubro de 2009 o diretor Alcides Romão entendeu que havia ambiente favorável e seguro para desenvolver ações que visavam à aproximação REEDUCANDO-SOCIEDADE. Naquele mês acolheu sugestão e aprovou a realização do CineCreed.

https://youtu.be/AEUC8LJP3as - CineCreeds

https://youtu.be/tAMt0VfPJ1s&t=37s – Fotos de feitos

https://youtu.be/i4PfGupjWjA – Programa Reconstruindo a Cidadania

https://youtu.be/rtcbk6xOIa8 - Coronel Alcides agradece a homenagem